Associativismo

Para compreender como a Febrafar alcançou o posto de uma entidade de voz e de representatividade dentro do setor farmacêutico, é preciso conhecer o conceito base da Federação: o associativismo. Já praticado antes mesmo da criação do termo, ainda que intuitivamente, as premissas do associativismo sempre foram trabalhadas por aqueles que se enxergavam mais fortes quando unidos a semelhantes com um mesmo propósito.

O associativismo é uma metodologia aplicável em empresas de qualquer segmento econômico, desde que utilizem a mesma matéria-prima, comercializem os mesmos produtos ou prestem o mesmo tipo de serviço. Para tal, é necessário um grupo mínimo de empresas que, após estudos de viabilidade econômica, possa suportar os custos de implantação e de manutenção de uma central de negócios, marketing e serviços, apresentando-se, assim, como uma solução inovadora para resolver os problemas das pequenas e médias empresa.

Unidos somos mais fortes

Porque associar-se?

De maneira geral, empresas sozinhas não conseguem enfrentar a concorrência das grandes corporações. Por isso, o associativismo surge para fortalecer os pequenos e médios negócios, tornando-os competitivos, a fim de elevar o padrão de qualidade de seus produtos e serviços, minimizando custos e possibilitando seu acesso a novos mercados consumidores.

O dito popular “a união faz a força” se encaixa perfeitamente na definição do que é associativismo – colaboração entre empresas com interesses em comum, a fim de obter vantagens econômicas e de gerenciamento, por meio de auxílio mútuo. Juntos, os associados trabalham para reduzir os custos operacionais, obter melhores condições de prazo e preço, estratégias de vendas e estimular o desenvolvimento técnico e profissional dos colaboradores e empresários

A associação é uma ordem social, multicultural, participativa e autônoma, fundada na igualdade, nas necessidades e nos valores comuns. Por excelência, é um sistema com potencial para organizar a gestão sob uma ética própria – a ética associativista –, na qual o que vale para o todo (a associação) deve valer para as partes envolvidas (os associados). Daí é que vem seu potencial para superar as dificuldades, por meio da eficiência do trabalho em base solidária e da oferta de bens e serviços em condições mais vantajosas para o consumidor.

Vantagens do associativismo

  • União – o Associativismo proporciona uma união capaz de fazer os empresários pensar coletivamente e permite a troca de experiências que os faz crescer conjuntamente.
  • Aculturamento – os empresários com perfil associativista têm ganhos significativos no que se refere à cultura empreendedora.
  • Compra Conjunta – a realização de compras conjuntas proporciona aos empresários maior poder de barganha e acesso a grandes fornecedores do mercado.
  • Fixação da Marca – a utilização de uma marca forte na fachada e nas dependências do estabelecimento associa o negócio à Rede.
  • Capacitação de Pessoal – a qualificação dos empresários e seus funcionários proporciona melhoras na gestão do negócio, na qualidade do trabalho e no atendimento aos clientes.
  • Lucratividade – a aplicação de melhores margens de comercialização faz com que as empresas apresentem um aumento considerável em seu faturamento.
  • Parcerias – as parcerias com os fornecedores são essenciais para a implementação de ações promocionais nos estabelecimentos. Mas fortalecê-las é fundamental para o desenvolvimento de uma rede associativista.
  • Conceito de Loja – as recomendações da rede quanto ao visual dos estabelecimentos têm proporcionado uma melhoria significativa no “conceito de loja” dos empresários, desde a fachada, o layout interno e externo, passando pela uniformização e aparência dos funcionários até a informatização e modernização de processos.
  • Competitividade – ao comprar bem e barato, maximizar e diversificar o mix de produtos, entender as reais necessidades dos clientes, superar suas expectativas, capacitar-se gerencialmente, viabilizar treinamentos para a equipe de colaboradores e organizar melhor o estabelecimento como um todo, as lojas tornam-se mais competitivas e ganham visibilidade no mercado.

Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias.

Segundo o IMS Health, no Brasil há mais de 77,4 mil farmácias e drogarias.

Confira algumas leis, decretos, e resoluções do mercado farmacêutico.

Conheça os materiais publicados pela FEBRAFAR, contendo as práticas mais bem sucedidas.

Acompanhe a agenda de eventos da Federação ao longo do ano.

Uma ideia que mudou a dinâmica do varejo farmacêutico brasileiro.