Modelo de associativismo da Febrafar inspira redes de laboratórios

associativismo manipulados
Modelo de associativismo da Febrafar foi apresentado para laboratórios que querem criar a Federação Brasileira de Redes Independentes de Laboratórios 

Publicado em 05/07/2016

Disseminar o associativismo sempre foi um dos objetivos prioritários da Febrafar. Com vistas a essa missão, o presidente Edison Tamascia vem levando sua expertise no campo para outros grupos, como foi o caso de sua participação no 1ᵒ Encontro das Redes Organizadas de Laboratórios e Análises Clínicas do país.

O evento teve como objetivo reunir empresas do setor em volta do modelo associativista para discutir rumos e caminhos futuros das organizações, promovendo trocas de experiências, informações de mercado e legislação e análise para possível alinhamento futuro.

Nesse ponto, o presidente da Febrafar teve muito a contribuir. “O modelo associativista é o caminho para o crescimento de muitas empresas, pois elas se tornam mais competitivas para a compra e venda de produtos. Ainda existem muitas dúvidas sobre o modelo, então, como faço parte de uma associação que se destaca em relação ao tema, é um dever contar nossa experiência”, explica Tamascia.

“Escolhemos o presidente da Febrafar para participar justamente pelo modelo que desenvolveu no segmento de farmácias, tornando-se uma grande referência. A experiência foi muito positiva, ficamos satisfeitos e motivados com a apresentação, os desenvolvimentos e as aplicações que eles criaram e que nos foram apresentados”, conta Rafael Marin, do Grupo Reação de Santa Catarina.

Dessa reunião saiu o embrião da Federação Brasileira de Redes Independentes de Laboratórios (Febralab). É o modelo da Febrafar que vem se multiplicando no país, possibilitando o crescimento dos parceiros e do mercado.

Assessoria de Comunicação da Febrafar



Deixe uma resposta