Fortalecimento da cultura organizacional é caminho para o sucesso

Atrelar o sucesso de uma organização à sorte de seus administradores já é, há tempos, considerado uma visão amadora, para não dizer ridícula. Hoje, em raras exceções, as empresas que se destacam no mercado possuem estratégias bem claras de atuação, mas, mais que isso, elas valorizam o desenvolvimento de uma cultura organizacional interna.

Um exemplo dessa ação é o crescimento que a Febrafar vem apresentando e os caminhos oferecidos às suas redes associadas. “Na Febrafar, sempre buscamos praticar uma administração humana, na qual motivamos diariamente nossos colaboradores e parceiros a conhecerem nossos valores, missão e visão e utilizarem em suas ações profissionais. O resultado desse direcionamento é muito gratificante, pois temos uma equipe engajada nas melhores práticas e uma taxa de turnover muito baixa”, avalia José Neto Abud, diretor geral da Febrafar.

Ele explica que a cultura é a manifestação prática dos valores da empresa. A disseminação da prática de incentivo da cultura empresarial tem um objetivo, sendo que as empresas com cultura forte são normalmente vistas como superiores, por conseguir executar a estratégia de modo eficiente.

Abud cita o exemplo do trabalho que vem desenvolvendo por meio do Programa Gestão da Central (PGC), que ele desenvolve junto às redes associadas à Febrafar. “No programa, buscamos levar às redes o compartilhamento de um conceito diferenciado de gestão da central administrativa da rede, visando reestruturar os processos e as políticas, mas, para isso, o primeiro passo que orientamos é o fortalecimento da cultura organizacional, criando os preceitos a serem seguidos por todos desse grupo para obtenção do sucesso” explica.

É importante ter muito cuidado nesse momento, pois a cultura organizacional não deve apenas ser escrita, deve ser praticada por todos. “Se o grupo não estiver engajado à cultura organizacional, invariavelmente, ocorrerão comportamentos incompatíveis com o que a corporação objetiva, e o fortalecimento dessa cultura depende de todos, se não ocorrer um amplo engajamento, não se conseguirá atingir o objetivo de ter uma organização forte e que caminha em conjunto para o crescimento”, ressalta.

São muitas as ações que devem ser desenvolvidas para a criação de uma cultura organizacional forte, mas tudo passa por um princípio básico da criação da missão, visão e valores e pela boa comunicação. A empresa deve buscar ferramentas para o engajamento e conhecimento da cultura interna. Do executivo ao faxineiro, todos devem estar envolvidos, para que realmente “vistam a camisa”.

Veja orientações elaboradas pelo diretor da Febrafar relacionadas à implantação da cultura organizacional em uma empresa:

1 – Desenvolva a missão, visão e valores

O ponto de partida para implementação dessa cultura é realizar um planejamento prévio do negócio, quais os objetivos e como deseja atrair e engajar os colaboradores. Mas é importante que se atente que esses pontos não devem apenas serem formados por palavras bonitas; para definir esses pontos, é preciso debruçar-se sobre o planejamento estratégico da empresa, construindo os caminhos para que todos rumem na mesma direção.

2 – Simplificar é o caminho

A cultura organizacional deve ser clara em seu linguajar e em sua prática. Em muitos casos, as empresas buscam enfeitar demais os pontos de sua cultura organizacional, o que faz com que se dificulte o entendimento e, principalmente, a prática, freando o desenvolvimento do negócio. Nesses casos se os termos da cultura não forem revistos, é possível que resulte em desconforto e falta de sinergia entre os colaboradores, podendo chegar a acarretar gastos e perdas com troca de pessoal, bem como baixa produtividade, surtindo efeitos negativos junto aos clientes.

3 – Preocupe-se com o campo semântico

Um erro muito comum são empresas que colocam quadros e informações sobre missão, visão e valores e pensam que isso por si só já resultará resultados. O desenvolvimento de cultura organizacional acontece, especialmente, por meio da prática, do exemplo e de símbolos organizacionais que arrastam as pessoas para os comportamentos desejados.

Considere a existência da linguagem verbal e outra não verbal, para isso, a disposição de uma empresa, suas ações e posições devem estar de acordo com a cultura organizacional para que ela seja realmente compreendida, tendo que trabalhar a linguagem do inconsciente. É o campo semântico que direciona informação que influenciam o comportamento das pessoas. Esse ponto envolve desde a disposição das mesas de uma empresa até a postura dos gestores, que mostrarão a atitude, no dia a dia, que se espera.

4 – Respeite as diferenças

O que pode parecer simples para você pode não ser para seu vizinho. Termos para farmacêuticos, como MIP, Genéricos e Similares, estão no cotidiano, mas, para quem é de outra área, podem ser de difícil entendimento. Então, para que se tenha uma compreensão profunda da empresa, é preciso olhar para o outro. Você não deve aplicar a cultura organizacional apenas por meio dos seus filtros de crenças, busque conhecer a equipe, suas características e diferenças. Um líder com exemplo e entusiasmo poderá inspirar seus colaboradores de forma que eles consigam se encontrar dentro do objetivo organizacional. Uma cultura consolidada acontece quando há convergência dos valores, crenças e objetivos das pessoas com os da organização.

5 – Esteja em constante transformação

Um erro muito grande é a ideia de que a cultura organizacional é imutável; o mundo está em constante mudança e, como tal, os preceitos de uma empresa também devem ser revistos de tempos e tempos e aprimorados. Outro ponto que deve ser incentivado é a capacidade de observação dos líderes que pretendem gerar e desenvolver a cultura organizacional na sua equipe. Ele deve estar atento aos caminhos que estão sendo tomados e, muitas vezes, ajustar os rumos no meio do caminho para fugir de tormentas. Não pense na correção estratégica das ações como um erro, mas sim como uma grandeza de quem objetiva se destacar.

6 – Comunicação e capacitação são prioridades

O conhecimento faz toda a diferença para o engajamento das empresas, assim, os preceitos de uma empresa devem ser divulgados e aprimorados constantemente. É imprescindível que a empresa tenha uma política de comunicação bem definida, com ferramentas de endomarketing que atinjam o colaborador. Outro ponto é que a empresa necessita ter política de capacitação e treinamento dos colaboradores que permitam maior motivação e crescimento profissional.

7 – Não esqueça o coração

Uma empresa tem que desenvolver um envolvimento afetivo de seus colaboradores. O segredo para o engajamento na cultura organizacional é o relacionamento, portanto, deve-se romper as barreiras da impessoalidade, buscando fortalecer o relacionamento interpessoal. É claro que são necessários limites, mas é o ambiente que faz toda a diferença, o envolvimento emocional faz parte do processo de aprendizagem e desenvolvimento da cultura. As pessoas devem ser tratadas com respeito, sendo dotadas de sentimentos, não apenas como números. Isso fará com que elas se sintam como parte do processo de construção da organização e com que a missão, a visão e os valores estejam enraizados no subconsciente, construindo organizações, equipes e profissionais de sucesso.



Deixe uma resposta