Desafios tributários para as farmácias em 2018

A questão tributária sempre foi uma que impactou enormemente as empresas brasileiras. E isso se dá por vários motivos, dentre os quais podemos citar a alta carga, a complexidade e as constantes modificações. Assim se mostra imprescindível aos empresários de todos os ramos estarem atentos aos desafios tributários.

Para poder elucidar esses pontos, fomos conversar com Izac Mendes, diretor do Grupo I Mendes Consultoria Fiscal (http://grupoimendes.com.br/):

Izac Mendes, diretor da I Mendes
Izac Mendes, diretor da I Mendes

A questão tributária do país é um dos grandes empecilhos para o crescimento das empresas? Como solucionar essa situação?

O empresário farmacêutico continua sendo apaixonado ou pela dinâmica do mercado e sua rede de contatos ou pelo empreendedorismo, isso não mudou, porém, o governo tem uma expectativa que esse empresário tenha expertises tributárias ou que ele tenha capacidade de planejar o seu custo tributário e prever todos os passivos fiscais. Sabemos que isso não ocorre na prática, percebo uma necessidade de uma metanoia, o empresário precisa entender que há a necessidade de evoluir na questão tributária, uma vez que hoje, quando a informação fiscal chega até o escritório de contabilidade o governo já tem a ciência dessas informações. A necessidade é trabalhar no antes e não no depois, o governo tem a informação em tempo real e o empresário precisa se posicionar nesse sentido. A estabilidade do seu negócio depende disso.  Essas informações devem ser buscadas da mesma forma que se aprimora na questão de tecnologia e inovação para se tornar competitivo nos processos de compra, logística, prospecção, venda e fidelização dos clientes,

Como isso impacta na gestão de uma empresa?

Hoje o maior impacto causado nas empresas é em relação ao material humano. O profissional formado em gestão de farmacêutica não tem condições de conduzir uma farmácia na questão tributária, para piorar, não existe no mercado a frequência de visitas de um consultor tributário, esse trabalho é realizado apenas em empresas de médio ou maior porte, o que é preocupante, deixando muitas farmácias desamparadas.

Projetando o futuro, quais devem ser as preocupações dos empresários? 

Para o futuro vejo um mercado competitivo, no qual a informação será o maior triunfo em nossa área tributária. As notificações serão disponibilizadas de forma randômica ao contribuinte, hoje o governo ainda fiscaliza de forma mais efetiva as grandes empresas, mas isso tem mudado por dois fatores: pela evolução natural do seu projeto SPED (começou de cima pra baixo) e pela necessidade de captação de receitas para cumprimento dos orçamentos governamentais. Também vejo mais cruzamentos como a validação dos códigos de barras e cruzamento de estoques e, por fim, observo os contribuintes mais preparados para buscarem as revisões das cargas tributárias, requerendo restituições por pagamentos errados ou fazendo questionamentos diversos.

Por que a empresa deve ter um suporte adequado na área tributária e qual a diferença de elisão e evasão fiscal?

A contratação de serviços como os prestados por nós não é mais uma escolha, é uma necessidade, atendendo uma demanda cada vez mais latente. A I Mendes ajuda as empresas a sobreviverem nesse cenário tributário, buscando o caminho da elisão fiscal, ou seja, a utilização dos benefício fiscais a favor do negócio, materializando assim um planejamento tributário. Um cuidado que deve ser tomado é com a evasão fiscal, que é o resultado da ignorância ou má fé do contribuinte, fazendo que um passivo fiscal seja criado, essa é uma escolha cômoda e muito arriscada.

A I Mendes é parceira da Febrafar, assim, quais serviços que podem ser oferecidos para as lojas das redes associadas?

Com a parceria da Febrafar, podemos oferecer para as lojas associadas o serviço de gestão tributária por meio da governança de cadastros, além do serviço de auditoria de arquivos fiscais, especialmente dos SPEDs, assumindo as validações e auditorias referente aos meses atuais e também dos meses retroativos, e colocando em dia os arquivos que possam estar em aberto junto ao fisco.

Hoje vemos que já são diversas redes associadas, como vem sendo essa relação e quais diferenciais percebidos nesse trabalho?

Já atendemos algumas farmácias das redes associadas a Febrafar, desde 2012, a relação tem sido muito positiva. Atualmente trabalhamos com oito mil clientes no Brasil (50% farmácias), procuramos não perder a pessoalidade e proximidade, priorizando sempre a qualidade no atendimento e devolutivas rápidas. É necessário ser flexível diante as demandas apresentadas,pois observamos que de fato existem dores no mercado farmacêutico, as quais não encontramos o “remédio” no profissional contábil ou no sistema da farmácia. A I Mendes tem sido um diferencial competitivo para as farmácias que possuem o nosso módulo implantado, o governo exige do contribuinte um nível elevado de conhecimento em processos fiscais e, por um outro lado, o custo tributário de qualquer empresa no Brasil é mais que desafiador. A I Mendes presta para os clientes um trabalho que concilia solução técnica, pelo fato de resolver vários problemas operacionais, com uma solução de planejamento tributário, uma vez que com o módulo da I Mendes a farmácia paga somente o imposto devido.