Projeto de Gerenciamento de Categorias busca adequar exposição de MIPs

A importância dos Medicamentos Isentos de Prescrições (MIPs) nas farmácias é inquestionável, segundo levantamento da IQVIA, esses produtos representam mais de 40% do faturamento do autosserviço farma no Brasil. Contudo, em muitas lojas esses produtos são tratados de forma errada.

Veja mais informações sobre o Encontro Febrafar

Pensando na mudança dessa cultura, a Febrafar já iniciou o Projeto de Gerenciamento de Categorias MIP nas Farmácias, que busca dar visibilidade adequada a esses medicamentos nas lojas das redes associadas à Febrafar, impulsionando assim as vendas e, consequentemente, o faturamento das lojas.

O projeto foi apresentado para as redes ligadas à entidade no último dia 18 de abril, durante o Encontro Febrafar. Na ocasião, para uma melhor contextualização da importância dessa classe de medicamentos para farmácias, foi realizada uma apresentação com Rodrigo Kurata, da IQVIA, que falou sobre a importância do MIP no canal farma e na Febrafar.

Segundo o especialista em mercado farma, “o desafio das farmácias é descobrir o mix ideal de produtos e ofertas. Além disso, é essencial que o MIP vá para a frente do balcão”. Também foram apresentados dados que mostram que o consumo de MIPs impacta em outras compras, sendo que, dos shoppers de produtos MIPs, apenas 20% afirmam não levar outros produtos na cesta.

Com base nesses dados, Karen Corridoni, diretora comercial da Febrafar, apresentou o Projeto de Gerenciamento de Categorias MIP nas Farmácias, que a entidade desenvolveu para alterar a visão comercial em relação a esses produtos. O projeto nasceu de uma pesquisa recente nas farmácias das redes associadas, que mostrou que grande parte das lojas ainda mantêm esses produtos atrás do balcão.

“Temos uma grande preocupação com a mudança dessa realidade, a exposição adequada do MIP é muito importante impulsionar as vendas das farmácias”, alerta a gerente comercial, que explicou que na própria Febrafar existem redes que observaram crescimentos nos faturamentos com o gerenciamento correto dessas categorias.

O projeto em um primeiro momento será apoiado pela Hypera, Pfizer, Sanofi, Abimip e IQVIA, o objetivo é primeiramente desconfinamento desses medicamentos do lado de trás do balcão, colocando essa categoria no autosserviço; depois a montagem de um mix ideal por estado e, por fim, a padronização do layout da loja (gôndolas coloridas).

O piloto do projeto já teve início no Interior de São Paulo, com a contratação de um profissional, em parceria com a IQVIA, que está sendo capacitado para que possa ir às lojas e direcionar esse processo. Será opcional para as lojas aderirem ao projeto e o escolher o modelo de GC que deseja aplicar. Após esse primeiro momento o projeto será replicado em todo o país, dando a devida exposição a esse importante grupo de medicamentos.