Hypermarcas compra o laboratório Neo Química por R$ 1,3 bi

Da Redação

 

A Hypermarcas anunciou, nesta segunda (7), a compra do Laboratório Neo Química, em comunicado divulgado na página da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) na internet. Segundo a empresa, o fabricante de medicamentos genéricos e isentos de prescrição (OTC) será incorporado pela subsidiária Hypernova Medicamentos Participações.

O valor do negócio é de R$ 686,737 milhões e envolve a emissão de 17,5 milhões de ações da Hypermarcas, a serem subscritas pelos acionistas do Neo Química. O montante será pago em três parcelas, a primeira, de R$ 235.737.931,00, na data de implementação da operação, que depende de “autorizações societárias previstas nos termos dos respectivos estatutos sociais, e desde que verificadas certas condições estabelecidas no acordo”, conforme o fato relevante. As outras duas parcelas, de R$ 225,5 milhões cada, serão pagas no primeiro e no segundo aniversários, com correção pela variação do CDI.

A operação total está avaliada em cerca de R$ 1,3 bilhão. Ao final da transação, os controladores do Laboratório Neo Química deterão 7,3% do capital total da Hypermarcas e participarão do bloco de controle da empresa. A Hypermarcas afirma que a transação cria o terceiro maior laboratório de capital brasileiro e o quarto maior em operação no País. A operação complementa o portfolio de produtos da unidade de negócios Farma da Hypermarcas, com medicamentos genéricos. No setor, a Hypermarcas atua com a divisão DM em medicamentos OTC e o Farmasa, em medicamentos de prescrição.

Com a aquisição, o setor de medicamentos deve representar 40% do faturamento total da Hypermarcas, enquanto o de Beleza e Higiene Pessoal deve representar outros 40% e o de Alimentos e Higiene e Limpeza, os 20% restantes. “Completamos cinco aquisições neste ano, com valor total de cerca de R$ 2 bilhões, em linha com a estratégia anunciada durante a oferta pública de ações da companhia, em julho”, afirma o CEO da Hypermarcas Claudio Bergamo.

A Hypermarcas convocará assembleia geral extraordinária (AGE) de acionistas para aprovar o negócio, em data ainda não divulgada.

O NEO QUÍMICA

O laboratório foi criado em 1959 e a geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) anualizado para 2009 é de R$ 95 milhões, com faturamento bruto de R$ 380 milhões.

A empresa inaugurou uma nova fábrica este ano que a permitiu ingressar no mercado de injetáveis em frasco ampola. A companhia exporta para América Latina e África desde 2003 e mantém planos de expandir operações na Ásia e Europa até 2010.

A HYPERMARCAS

Fundada em 2000, a Hypermarcas consolida algumas das principais marcas de diversos setores do mercado de consumo, como Assolan, Monange, Paixão, Risqué, Lucretin, Benegrip, Apracur, Doril, Lisador, Engov, Gelol, Zero-Cal, Bozzano e Cenoura & Bronze.

O grupo brasileiro já vinha apontando a possibilidade de novas aquisições, buscando ampliar seus negócios para concorrer com gigantes internacionais como a Unilever e a Procter & Gamble.

Em setembro, a companhia adquiriu os ativos do negócio de cosméticos licenciados sob as marcas Disney e Warner Brothers, para o segmento infanto-juvenil. No mês seguinte, a empresa comprou a fabricante de fraldas descartáveis Pom Pom, por R$ 300 milhões, e também anunciou a compra da fabricante de preservativos Inal (Indústria Nacional de Artefatos de Látex), que comercializa marcas como a Olla, Lovetex e Microtex, entre outras, por R$ 212,6 milhões.
Fontes: Agências Estado e Reuters, Portal Exame, Site Brasil Econômico e Último Segundo (IG)



Deixe uma resposta