Impostos de medicamentos sobem mais do que PIB e inflação

Da Redação
Os impostos dos medicamentos subiram mais do que o PIB e a inflação dos últimos anos, e o setor volta a pressionar por tributo zero. Um estudo mostra que a carga tributária média dos remédios no país chega a 33,9%. Quem paga a conta é sempre o consumidor, já que o repasse é feito diretamente ao preço final. Uma das autoras do estudo, a economista Cristina Amorim, destaca que o ICMS é o imposto que mais onera os medicamentos.

O “Publicidade Paraná” fez um teste com a redução de tributos nos remédios, e o impacto nos cofres não foi negativo porque as vendas aumentaram. O vice-presidente executivo do Sindusfarma, Nelson Mussolini, destaca que, nos últimos anos, a fúria arrecadatória do governo só aumentou.

O vice-presidente executivo do Sindicato da Indústria Farmacêutica, Nelson Mussolini, defende que o setor tenha um tratamento diferenciado. O senador Paulo Bauer (PSDB-SC) propõe zerar os impostos em medicamentos. De acordo com o senador, a proposta será aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da casa. Mas alguns parlamentares temem que, em plenário, a pressão dos governadores pese mais sobre o voto dos parlamentares.

Fonte: Jornal da Manhã – Rádio Jovem Pan



Deixe uma resposta