Número do registro na Anvisa é incorporado aos padrões GS1

Da Redação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acerta os últimos detalhes para a implantação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (SNCM), que define os procedimentos para garantir a rastreabilidade de remédios em todo o País. Uma das medidas necessárias para que a nova norma entre em vigor acaba de ser cumprida. A GS1 Brasil – Associação Brasileira de Automação incorporou o número do registro na Anvisa em seus padrões globais de automação.

Este número é parte do IUM – Identificação Única do Medicamento, que é uma espécie de RG dos medicamentos, correspondente a cada unidade a ser comercializada no território brasileiro, e será gerenciado pela Anvisa.

“Antes da padronização, o número do registro na Anvisa não poderia ser codificado e interpretado mundialmente; agora, possui regras de formatação seguindo o que é adotado em todo o mundo”, explica Ana Paula Vendramini Maniero, coordenadora de negócios da GS1 Brasil e responsável pelo grupo de trabalho da área de Saúde da entidade.

O IUM é formado pelo número do registro do medicamento junto à Anvisa e contém, além do número serial, a data de validade e o número do lote. Essas informações ficarão armazenadas no código de barras bidimensional Datamatrix, tecnologia escolhida pela Agência para conter todos os dados do produto.

Trata-se de um mecanismo de captura e armazenamento de dados necessários à rastreabilidade de medicamentos no Brasil. O código permite recuperar informações históricas e geográficas sobre o caminho percorrido pelos medicamentos desde sua produção até a entrega ao consumidor. As embalagens de todos os medicamentos devem conter os mecanismos de identificação estabelecidos nesta norma da Anvisa.

O Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (Lei nº 11.903/2009) surgiu com o objetivo de aprimorar continuamente os mecanismos de rastreabilidade e autenticidade de medicamentos no país e dar uma resposta efetiva à informalidade. Só em 2010, a Anvisa apreendeu 53.575 mil unidades de medicamentos falsificados e contrabandeados e 62,9 toneladas de medicamentos sem registro.
RASTREABILIDADE COM DATAMATRIX

A adoção de projetos de rastreabilidade em hospitais e laboratórios farmacêuticos pode reduzir significativamente a chance de erro humano na hora de ministrar uma medicação, por exemplo. Não há estatísticas oficiais no Brasil, mas, segundo o Institute of Medicine dos Estados Unidos, mais de 7 mil pessoas morrem anualmente e outros 1,5 milhão de pessoas sofrem graves danos por erros de medicação naquele país. O prejuízo financeiro chega a US$ 3,5 bilhões, de acordo com o estudo Preventing Medication Errors.

Os brasileiros são os que mais consomem medicamentos falsificados no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a Anvisa, 20% dos medicamentos vendidos no país são falsos. A GS1 Brasil trabalha em seu grupo internacional GS1 Healthcare com fabricantes, hospitais, varejo, agências de vigilância sanitária, Ministério da Saúde e associações do setor para buscar as melhores soluções mundiais para o sistema de codificação de medicamentos, redução de erros médicos, recall de produtos, autenticidade, eficiência, acuracidade na cadeia de suprimentos e rastreabilidade.

A GS1 Brasil – Associação Brasileira de Automação tem levado a tecnologia para instituições de todo o País, como os laboratórios Eurofarma e Isofarma e os hospitais Moinhos de Vento, em Porto Alegre, e Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Alemão Oswaldo Cruz e Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo.
SOBRE A GS1 BRASIL

A GS1 Brasil – Associação Brasileira de Automação é uma organização sem fins lucrativos que representa nacionalmente a GS1 Global. Em todo o mundo, a GS1 é responsável pelo padrão global de identificação de produtos e serviços (Código de Barras e EPC/RFID) e comunicação (EDI e GDSN) na cadeia de suprimentos.

Além de estabelecer padrões de identificação de produtos, a associação oferece serviços e soluções para as áreas de varejo, saúde, transporte e logística. A organização brasileira tem 57 mil associados. Mais informações em www.gs1br.org.
Fonte: DFreire Comunicação e Negócios



Deixe uma resposta