Sua farmácia: fim do programa?

Mais uma vez, estão circulando informações sobre o provável fim do programa Aqui Tem Farmácia Popular, principalmente após o fechamento das sedes próprias do programa Farmácia Popular em todo o país. Contudo, as notícias não condizem totalmente com a realidade.

Febrafar segue na luta pela continuidade do Farmácia PopularPixabay
Outro fato que alimentou essas informações é que, recentemente, o Ministério da Saúde iniciou negociações com a indústria farmacêutica e o setor de drogarias para reajustes de valores. “Temos, de um lado, o governo, que quer diminuir os custos. E, de outro, o mercado, que enfrenta dificuldades pelas baixas margens que já obtêm. A equalização das contas parte de um complexo cálculo, no qual devem ser consideradas a variedade de produtos e marcas vendidas no programa e a questão tributária brasileira, que faz com que grande parte dos ganhos sejam corroídos”, explica Edison Tamascia, presidente da Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar) e membro da Comissão do Programa Farmácia Popular.

Ainda segundo o especialista, a argumentação de que os valores pagos pelo governo por produtos de asma, hipertensão e diabetes estão acima dos praticados pelo mercado não condiz com a realidade financeira do programa e preocupa, pois pode imputar para as empresas uma culpa que não é delas.

Recentemente, o governo afirmou que “os valores praticados atualmente na venda de produtos do Farmácia Popular obedecem às regras da CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos). A entidade estabelece um valor teto, mas os laboratórios e drogarias podem praticar preços menores para o consumidor”. Contudo, há uma negociação de preço dos produtos entre farmácias e indústrias regida pelo mercado, e não são todas as lojas que conseguem os melhores descontos, devido a cenários tributários distintos entre os estados.

“Como representante da Febrafar, posso afirmar que nossa luta é pela continuidade e pelo crescimento do programa, e acredito que o Ministério da Saúde tem a mesma intenção, possibilitando benefícios a todos, sobretudo à população”, diz Tamascia.

Fonte –  O DIA
24/10/2017 00:10:00
Rio