Vendas na Abradilan chegam a R$ 5,4 bilhões nos últimos 12 meses

Em janeiro, segundo a Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos (Abradilan), entidade que reúne 140 empresas distribuidoras de medicamentos e produtos de higiene pessoal e cosméticos, houve crescimento de 17,1% nas vendas da entidade em comparação com o mesmo mês de 2017.

Saiba mais sobre a Conexão Farma

As vendas no primeiro mês deste ano totalizaram R$ 433,5 milhões, contra R$ 370 milhões em relação a janeiro de 2017. Em unidades, o aumento foi de 9,5% (81 milhões contra 74 milhões). Os dados foram apurados pela IQVIA, empresa fruto da fusão entre IMS Health e Quintiles, a pedido da Abradilan.

Nos últimos 12 meses, as vendas Abradilan chegaram a 1 bilhão de unidades comercializadas em todo o país, totalizando um aumento de 6,1% na comparação com o ano de 2017, que teve a marca de 964 milhões de unidades. Já em valores, as vendas atingiram a marca de R$ 5,37 bilhões, um aumento de 10,4% em relação ao ano passado, quando chegou a R$ 4,85 bilhões.

O bom desempenho é apresentado justamente no momento em que a Abradilan realiza a 14ª Abradilan Conexão Farma, feira que ocorre no São Paulo Expo, na capital paulista, com a expectativa de atrair cerca de 8 mil pessoas entre representantes da indústria, distribuidores, varejistas e outros profissionais do setor e que deve gerar cerca de R$ 220 milhões em negócios, valor 10% superior se comparado ao ano passado. A feira vai até o dia 22 de março.

A Abradilan Conexão Farma ocorre uma semana antes da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) anunciar o aumento anual dos medicamentos. No ano passado, o reajuste anual de preços variou de 1,36% a 4,76% no universo de 19 mil medicamentos, sendo os menores índices registrados na última década. Em 2016, o reajuste máximo permitido aos fabricantes na definição dos preços foi de 12,5%. De acordo com o Ministério da Saúde, nos últimos dez anos, enquanto o IPCA variou 82,30%, o ajuste dos medicamentos medido pelo IPCA farmacêutico foi de 64,88%.