Redecard muda de nome e concentra as apostas do Itaú Unibanco no setor de cartões

Da Redação

O Itaú Unibanco apresentou nesta terça (22) o novo posicionamento e a nova marca de sua unidade de negócios de meios de pagamentos eletrônicos. Segundo os executivos do Itaú Unibanco, controladora da companhia, o reposicionamento da marca é acompanhado por uma reestruturação da empresa.

Com as mudanças, a Redecard passa a se chamar Rede. O trabalho foi desenvolvido em conjunto com a agência Ana Couto Branding. Criado pela DPZ e apresentando o slogan “Estamos todos ligados”, o filme para comunicar a mudança ao público estreou no intervalo comercial do Jornal Nacional desta terça (22). Além disso, publicidade na mídia impressa e novos cartazes e adesivos com as novas logos fazem parte da estratégia. A nova logo deve aparecer com letras laranjadas em fundo branco ou amarelas em fundo laranja. As letras da palavra rede aparecem conectadas, para dar a ideia de maior ligação e interação.

De acordo com o presidente da empresa, Milton Maluhy Filho, na escolha do novo nome prevaleceu a opção mais simples e direta, que permite, inclusive, a ampliação da atuação da companhia. “Rede remete à tecnologia, agilidade e modernidade ao mesmo tempo em que cria para a marca uma personalidade jovem e conectada. Uma Rede que conecta pessoas e empresas, mudando a experiência de consumo”, afirmou o executivo, em comunicado oficial.

Segundo o executivo, a palavra card na antiga logo Redecard limitava o escopo da própria marca, pois levava o consumidor a um entendimento errado. A palavra card se relacionava, por exemplo, com bandeiras de cartão de crédito, de um segmento de atuação diferente. Já a palavra rede, segundo Maluhy, remete a relacionamentos e capilaridade, conceitos mais próximos dos novos objetivos da marca.

Vice-líder do segmento, a Rede aposta na diversificação dos canais digitais para a realização das transações. Um exemplo é a solução Mobile Rede, que envolve um aplicativo por meio do qual é possível efetuar pagamentos via smartphone ou tablet. A empresa diz ter investido R$ 500 milhões nos últimos dois anos na renovação e padronização de 75% de seu parque de máquinas, elevando para 50% a parcela de aparelhos que funcionam sem fios. Ao repaginar seu braço de meios de pagamentos eletrônicos, o Itaú Unibanco pretende agora aumentar a fatia do setor nos resultados do grupo. Rebatizada como Rede, a companhia concentra as apostas do Itaú no setor de cartões, em meio aos esforços de bancos privados para compensar receitas menores na concessão de crédito com mais faturamento em serviços financeiros.

Após um investimento de cerca de R$ 500 milhões em tecnologia e os aproximadamente R$ 12 bilhões empregados no fechamento de capital de sua subsidiária, o Itaú agora procura mostrar uma estrutura mais integrada de meios de pagamento e com maior alcance. Para isso, o grupo está criando mais canais para captura de transações, como uma solução que permite uso de um aplicativo que transforma smartphones em terminais (POS) para atender, sobretudo, profissionais liberais. “A gente tem tudo para ocupar um market share maior que o atual”, disse Maluhy Filho, que também é o diretor-executivo da área de Cartões do Itaú Unibanco.

O market share da então Redecard no mercado brasileiro de meios de pagamento, que chegou a ser de 45% em 2010, está atualmente em cerca de 37%. Segundo o executivo, com os ganhos de sinergia e de produtividade, a agora Rede está pronta para buscar um ganho “sustentável” de market share. A líder do setor no país é a Cielo, que tem como maiores acionistas o Bradesco e o Banco do Brasil.

Maluhy Filho ressaltou que mais importante do que ganhar mercado será manter a rentabilidade. Sem mencionar números, o presidente da Rede afirmou que a companhia superou levemente as metas de ganho de sinergias e produtividade fixadas internamente em 2012, quando o Itaú decidiu pelo fechamento de capital. Segundo ele, a Rede manterá a divulgação de seus dados de desempenho no próximo dia 29, quando o Itaú apresentará seu balanço do terceiro trimestre.

Para mais informações, acesse o site da Rede, através do endereço www.userede.com.br
Fontes: DCI, Meio & Mensagem e Reuters



Deixe uma resposta