Redefarma – reestruturação já apresenta resultados

redefarma
REDEFARMA passa por uma revolução em seu modelo de gestão e os resultados já são observados. Crescendo em vendas 14,9% em outubro e relação ao último ano

Publicado em 05/12/2016

As drogarias associadas à REDEFARMA vêm passando por uma grande revolução em seu modelo de gestão e os resultados já são observados em números. Nos últimos 12 meses, findados em outubro de 2016, as lojas da rede venderam 14,9% a mais em unidades de medicamentos em relação ao mesmo período de 2015, passando de 3.730.717 para 4.288.296 unidades.

Se forem considerados os valores das vendas, os ganhos no mesmo período foram ainda maiores, crescendo 23,7%. Contudo, essa ascensão nos números não é resultado de uma única ação. “Estamos passando por uma reformulação de todo o nosso modelo, que se iniciou há dois anos e meio. Fizemos praticamente tudo do zero, mas, felizmente, já sentimos os resultados”, conta Antônio Geraldo Andrade Casarin, presidente da REDEFARMA. A associação conta atualmente com 73 unidades.

Antonio Casarin, o Lalado
Antonio Casarin, o Lalado

Geraldo Andrade

Adesão ao PGC

Segundo Casarin, todo esse processo teve início com uma maior aproximação da rede à Febrafar (Federação Brasileira das Redes Associativas de Farmácias), da qual já era filiada, mas que possibilitou expertise para a transformação em um modelo de resultados positivos, seja para seus fornecedores, associados ou, principalmente, para o consumidor.

“Observamos que existiam inúmeras ferramentas disponíveis pela associação que poderiam melhorar nossos trabalhos, mas o mais importante é a existência de um modelo de trabalho que já era um sucesso em outras redes e que poderíamos seguir. Assim, com a aproximação de José Abud Neto (diretor executivo da Febrafar), pudemos colocar em prática as ações”, detalha o presidente da REDEFARMA.

Ele se refere à adesão da rede ao PGC (Programa de Gestão da Central), que é um projeto baseado em um conceito diferenciado de gestão da central administrativa da rede, visando reestruturar os processos administrativos e as políticas de compra e venda para melhorar o resultado financeiro das farmácias associadas às redes vinculadas à Febrafar. Esse projeto consiste na implantação de várias ferramentas disponibilizadas pela federação em que a rede e o associado se comprometem a utilizar da forma indicada.

Contudo, para Neto Abud, não foi a adesão a responsável pela mudança. “O programa existe para todo as redes, contudo, observamos na REDEFARMA um grande empenho em realmente querer mudar para crescer. Se hoje eles colhem os primeiros resultados, é por causa da grande dedicação de sua diretoria e de todos que participaram desse processo”.

Diferenciais de gestão

Dentre os pontos que se destacam desse programa, estão a capacitação de gestores, por meio de uma estrutura especial montada para isso, além da inclusão das ferramentas tecnológicas disponibilizadas em praticamente todos os processos. “Hoje, nesse mercado, pode-se dizer que sem tecnologia não se tem lucro, pois tudo fica mais difícil. Possuir informações estratégicas faz toda a diferença na tomada de decisões assertivas”, explica Casarin.

Outro ponto de grande destaque foi a contratação de anjos, que são profissionais que ajudam cada associado com o controle de estoque, planilhas de vendas e análise de resultados baseada no padrão de crescimento da rede. Além disso, os anjos também orientam em relação aos descontos dos medicamentos e são responsáveis por repassar as demandas.

Contudo, o grande destaque foi para a implementação do programa de cartão de fidelidade, PEC, que hoje todas as farmácias já possuem e que possibilita grandes benefícios para quem participa. Dentre os destaques e vantagens de um Programa de Fidelidade como o PEC, estão retenção e ampliação do número de clientes, controle e profissionalização dos descontos, agilidade no atendimento e gerenciamento do perfil do cliente.

Projeções para o futuro

Com a consolidação dos resultados das mudanças recentes, o caminho que a REDEFARMA projeta para o futuro é de um maior crescimento. “Percebemos que temos muito ainda a desenvolver em nossas lojas, além disso, temos também o projeto de expansão do número de associados. Contudo, quem for entrar, deverá estar apto a se adequar a nossa nova diretriz, pois sabemos que o caminho para o sucesso passa pela confiança no modelo que adotamos”, finaliza o presidente da associação.

Com informações da assessoria de imprensa Febrafar



Deixe uma resposta