Três erros a eliminar para manter a saúde financeira de sua farmácia

Foco nas vendas e nas compras são os principais pontos que empreendedores se atentam na farmácia. Obviamente, são áreas de extrema importância, visto que geram resultados positivos ou negativos, dependendo da maneira como são tratadas. Mas, existe uma área, após estas duas, que jamais deve ser abandonada: a área financeira.

A gestão financeira de uma empresa é o que garante o leque de informações necessárias para planejar, controlar e corrigir o rumo que a organização está tomando. Por ser uma área de staff, deve ser levada muito a sério e jamais deixar de ser acompanhada.

Infelizmente, muitos empresários acabam tendo atitudes equivocadas na gestão financeira, dificultando a análise dos resultados ou até mesmo abandonando essa tarefa. Entre os erros mais comuns, citamos aqui três que devem ser eliminados da sua farmácia.


1 – Não dar atenção às contas a receber e a pagar

Não ter um acompanhamento constante do que seu negócio tem para receber e pagar é uma maneira de perder dinheiro. O importante é delegar a gestão de contas a receber e a pagar para uma pessoa ou equipe. O segundo passo é capacitar os colaboradores. O terceiro – e mais importante – é acompanhar periodicamente os resultados da empresa.

Indicadores de inadimplência podem mostrar como está a gestão das vendas a prazo. Relatórios que mostrem os títulos pagos atrasados ou pendentes de pagamento é outra fonte de informação. Vale considerar métodos de organização dos títulos, como a metodologia dos envelopes e o uso de ferramentas que auxiliem a lembrar do que se tem a pagar e o que se tem a receber. O importante é nunca deixar de acompanhar.

2 – Não acompanhar o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o relatório mais importante para a sua farmácia. É com este relatório que você visualiza em que momento terá entrada ou saída de recursos. Por meio destas informações, você conseguirá melhorar as negociações de prazos de pagamento com fornecedores e os prazos concedidos aos clientes. Desta forma, é possível reduzir o ciclo financeiro e, consequentemente, a necessidade de capital de giro.

3 – Misturar finanças pessoais com o controle empresarial

Muitos donos de farmácia não conseguem avaliar se a empresa está dando lucro ou prejuízo, pois ao misturar as informações (despesas pessoais com as da farmácia) perdem a capacidade de avaliar o desempenho da empresa. O correto é definir um valor a ser retirado mensalmente, o pró-labore.

Com este valor estabelecido, você não irá mais lançar os boletos da escola dos filhos, do financiamento do carro ou do cartão de crédito. Se as despesas superam o valor estipulado para o pró-labore, faça novos lançamentos de retirada, mas nunca faça isso pelo caixa da loja – este último é apenas para receber vendas e fazer troco.

Se sua empresa possui um destes equívocos, procure eliminá-lo, pois somente desta forma você conseguirá manter saudável as finanças de sua farmácia.

Maico Sullivan é analista de implantação da Softpharma e editor chefe do Blog Ideias & Finanças.



Deixe uma resposta