Vendas em alta, feira da Abradilan estima movimentar R$ 220 milhões

Começa amanhã, terça-feira, dia 20, a 14ª Abradilan Conexão Farma. Organizada pela Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos (Abradilan), a feira ocorre no São Paulo Expo, na capital paulista, com a expectativa de atrair cerca de 8 mil pessoas entre representantes da indústria, distribuidores, varejistas e outros profissionais do setor e gerar cerca de R$ 220 milhões em negócios, valor 10% superior se comparado ao ano passado.

A feira, que vai até o dia 22 de março, ocorre em um momento de alta nas vendas de medicamentos e não medicamentos da Abradilan. Em janeiro, segundo a associação que reúne 140 empresas distribuidoras de medicamentos e produtos de higiene pessoal e cosméticos, houve crescimento de 17,1% nas vendas em comparação com o mesmo mês de 2017.

As vendas no primeiro mês deste ano totalizaram R$ 433,5 milhões, contra R$ 370 milhões em relação a janeiro de 2017. Em unidades, o aumento foi de 9,5% (81 milhões contra 74 milhões). Os dados foram apurados pela IQVIA, empresa fruto da fusão entre IMS Health e Quintiles, a pedido da Abradilan.

Nos últimos 12 meses, as vendas Abradilan chegaram a 1 bilhão de unidades comercializadas em todo o país, totalizando um aumento de 6,1% na comparação com o ano de 2017, que teve a marca de 964 milhões de unidades. Já em valores, as vendas atingiram a marca de R$ 5,37 bilhões, um aumento de 10,4% em relação ao ano passado, quando chegou a R$ 4,85 bilhões.

A Abradilan Conexão Farma ocorre uma semana antes da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) anunciar o aumento anual dos medicamentos. No ano passado, o reajuste anual de preços variou de 1,36% a 4,76% no universo de 19 mil medicamentos, sendo os menores índices registrados na última década. Em 2016, o reajuste máximo permitido aos fabricantes na definição dos preços foi de 12,5%. De acordo com o Ministério da Saúde, nos últimos dez anos, enquanto o IPCA variou 82,30%, o ajuste dos medicamentos medido pelo IPCA farmacêutico foi de 64,88%. ”Dessa forma, a feira será uma oportunidade de grandes negociações, pois as principais indústrias estarão apresentando seus produtos com condições especiais, além de demonstrar lançamentos e muita capacitação para os profissionais do setor”, diz Juliano Vinhal, presidente da Abradilan.

Indústria espera bons negócios – A Abradilan espera movimentar cerca de R$ 220 milhões em novos negócios, um aumento de 10% na comparação com 2017, quando gerou R$ 200 milhões. Todo esse otimismo da associação também é compartilhado por executivos das empresas expositoras. “Todos os anos desenvolvemos na feira muitos negócios e temos planos de sair, em 2018, com 100% das propostas fechadas. Normalmente, com a Abradilan, conseguimos aumentar as vendas entre 30% e 35% no pós-feira”, enaltece Wilson Borges, CEO da Natulab, líder em produção e vendas de medicamentos fitoterápicos no Brasil e a quinta maior indústria no segmento de medicamentos sem prescrição no país.

No projeto de expansão da Natulab, que tem como meta chegar ao top 5 do ranking de indústrias farma no Brasil até 2020, o canal distribuição é fundamental. “Hoje, é impossível pensar em mercado sem pensar em distribuidor. Várias empresas do setor tentaram voar sozinhas e não deu certo. É preciso buscar parceiros regionais, desenvolver estratégias regionalizadas, respeitando a cultura, entendendo as necessidades e as especificações de cada Estado”, esclarece Borges.

Líder global em medicamentos genéricos e biossimilares, e com faturamento global da ordem de US$ 10 bilhões em 2017, a alemã Sandoz, como divisão do Grupo Novartis, também quer crescer mais no Brasil. E esse crescimento passa, necessariamente, pela Abradilan. “Hoje, 80% da nossa demanda está dentro da Abradilan, onde temos uma grande concentração de parceiros e podemos gerar negócios a curto e médio prazo. Novos distribuidores poderão ser abertos e a feira é uma boa oportunidade”, afirma Erica Sambrano, diretora comercial da Sandoz. “Vamos para o evento em um período de pré-alta nas vendas. Sempre tivemos um crescimento de 30% a 35% após a feira, mas queremos chegar a 40% em 2018”, complementa a executiva.

Compras para maximizar a rentabilidade – A Geolab, de acordo com Gustavo Cervo Veber, diretor comercial da indústria goiana com sede em Anápolis, tem anualmente em março uma atenção especial às vendas em razão do reajuste de preços dos medicamentos a partir do mês de abril. “O reajuste, mesmo que em percentual reduzido, faz com que os empresários, tanto atacadistas e distribuidores, bem como os varejistas, tenham a oportunidade de efetuar compras com a finalidade de maximizar sua rentabilidade. Assim, é muito oportuna a nossa participação na Abradilan Conexão Farma, pois é um momento em que além desse ganho de reajuste de preços, os distribuidores e varejistas podem contar com mais incentivos por parte da indústria no tocante às promoções mais agressivas tanto em linhas como em produtos específicos ou lançamentos”, argumenta Veber.

A Geolab, diz o diretor comercial, manterá por quase 20 dias durante este mês de março e a feira da Abradilan, condições inéditas em toda a linha de produtos, com descontos que podem chegar até 20% em determinados itens. “Com isso, o objetivo é de performarmos vendas para o mês de março no mínimo 18% superior ao volume do mesmo período do ano anterior”, afirma Gustavo Veber.