Nova presidência da Abradilan quer continuidade com profissionalização, representatividade e competitividade

Francisco Chagas bx

Publicado 26/06/2015

No último dia 18, a nova diretoria da Associação Brasileira dos Distribuidores dos Laboratórios Nacionais (Abradilan) tomou posse encabeçada por Francisco Chagas Almeida Gomes (Total Comercio – CE), que assume a presidência da entidade. O empresário atua no setor farmacêutico como distribuidor de produtos há 15 anos e já fazia parte da diretoria como vice-presidente.

A Abradilan é composta de mais de 140 distribuidores que atendem a 79% das farmácias em todo território nacional. A associação também é responsável pela distribuição de 27% das unidades vendidas de medicamentos genéricos no País, segundo dados do IMS Health.

Confira a entrevista do novo presidente da entidade exclusiva para o site da FEBRAFAR.

FEBRAFAR – Qual a expectativa para a nova gestão da Abradilan? Algum desafio em especial?

Francisco Chagas – Temos a expectativa de dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado pelas últimas gestões do Conselho Diretivo da Abradilan e elevar cada vez mais o conceito da nossa entidade perante o mercado farmacêutico, órgãos reguladores e aos poderes executivo e legislativo nos baseando em  três pilares: profissionalização através do processo de capacitação, representatividade e competitividade, que nortearão  todas as diretrizes do Conselho Diretivo Eleito  e de  todos os colaboradores da Abradilan durante os próximos dois anos.

FBF – O senhor pretende fazer alguma mudança na Abradilan Farma, importante encontro do setor?

FC – Precisamos sempre de inovação para o evento tornar-se atrativo para o seu público alvo. Claro que iremos buscar promover melhorias, através de ideias de todo o Conselho Diretivo

FBF – O mercado brasileiro está em alerta devido a recessão em alguns setores da economia. O setor de distribuição de medicamento tem sofrido neste momento econômico?

FC – A maioria dos setores tem sido impactado pela crise econômica que o nosso país atravessa, mas o nosso setor costuma sofrer menos. No ano passado tivemos um salto de 19,6%, no faturamento das empresas associadas, que chegou a R$ 9,67 bilhões em 2014, deve crescer menos em 2015, entre 13% e 15%. Entendemos que para a distribuição de medicamentos o maior impacto está na elevação de custos derivado do aumento nos custos de combustíveis, energia, fretes entre outros, o que tem impactado inclusive nas margens comerciais das empresas.

FBF – O senhor destacaria alguma medida essencial para o desenvolvimento do mercado de distribuição?

FC – A distribuição de medicamentos tem um papel muito importante dentro do canal farma, principalmente para o pequeno varejo. Na minha visão o distribuidor precisa aprimorar a prestação de serviços ao varejo como, por exemplo, investir em qualificação da equipe do PDV (ponto de venda), focando a melhoria na gestão do negócio e disponibilizar ferramentas que ajude o pequeno varejo a conseguir um melhor desempenho no seu negócio entre outras possibilidades de prestação de serviços. Considero este approach com o pequeno e médio varejo uma grande oportunidade para a distribuição.

FBF – Qual o papel das associações, como a Abradilan, para o fortalecimento do setor e contribuição para a economia?

FC – O Papel de uma entidade como Abradilan é fundamental para representar seus associados perante o mercado farmacêutico, os poderes constituídos e a sociedade geral defendendo os interesses coletivos, e oferecendo proposições que beneficie o setor. Pois é uma entidade que conta com apoio e participação dos seus associados, além disso, é uma entidade forte, com equipe de profissionais preparados, para nos representar em todas as instâncias defendendo os interesses comuns de setor que ela representa.

FBF – Como o senhor avalia a relação entre os distribuidores e os varejistas farmacêuticos?

FC – Eu avalio que a relação entre a distribuição e o varejo é muito boa, pois ambos possuem os interesses comum que é disponibilizar produtos e serviços com excelente qualidade, ao um preço justo e no tempo adequado. Essa relação deve ser cada vez mais fortalecida, pois, um depende do outro para o sucesso nos negócios.

Foto: divulgação

 



Deixe uma resposta